Aguia Power

Font Size

SCREEN

Profile

Layout

Menu Style

Cpanel

AGUIA POWER NEWS

“Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece, mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesm

o, perderá todas as batalhas.”

Sun Tzu, em A Arte da Guerra, livro que ensina estratégias válidas tanto para o campo de batalha literal quanto para as batalhas do dia a dia, já alertava sobre a importância de entender a mente daqueles que estão contra você. No cenário da criminalidade de hoje não é diferente, e é por isso que entender o que se passa na mente de um bandido antes de um assalto pode fazer uma diferença positiva para a vítima em potencial.

 

A preparação para um assalto começa sempre com a seleção de uma vítima. No geral, são escolhidas pessoas que parecem fracas, distraídas ou então que portam ou parecem portar algum objeto visado pelo assaltante (pode ser um carro, uma bolsa, um tênis, um celular). Como ele não quer ser exposto, o próximo passo do bandido é avaliar o ambiente e a situação antes do ato. Pessoas que podem atrapalhar o roubo, rotas de fuga e coisas do tipo. O ladrão ainda precisa pensar em detalhes como arma a ser usada e o horário em que irá executar a ação. Com tudo isso avaliado, ele finalmente escolhe uma abordagem e ataca. As medidas de prevenção são aplicáveis apenas até esse estágio, pois, uma vez abordada, o ideal é que a vítima coopere, evitando maiores complicações.

Não existe um perfil exato de bandido nem uma descrição na qual todos se enquadrem. A ideia de que o bandido será um homem jovem e mal vestido, aparentemente pobre, é falha. Mulheres, crianças, idosos, homens elegantes de terno e gravata, todos podem ser bandidos, até que se prove o contrário. Então o importante é que se analise o comportamento de pessoas estranhas. Pouco antes da abordagem os bandidos costumam estar bastante nervosos, com as mãos trêmulas ou escondidas nos bolsos, suando e olhando bastante ao redor. Portanto, se você perceber esse tipo de comportamento em alguém que está se aproximando, afaste-se. Entre em uma loja ou procure ficar próximo de policiais.

Com o aumento de veículos nas cidades é natural que as ruas não deem conta do tráfego, formando longos congestionamentos. Além de deixar os motoristas estressados, essa acaba sendo uma excelente oportunidade para que criminosos pratiquem assaltos

nas ruas. Janelas abertas, semáforos que mantêm os carros parados por bastante tempo e portas destravadas dão chance a ações que poderiam ser evitadas com um pouco de atenção.

É recomendado que os motoristas andem sempre com os vidros fechados – em dias de muito calor, o melhor é investir no ar-condicionado. Abordagens de pessoas que estão a pé ou em motos são bastante comuns e podem resultar no roubo de pertences como celulares, relógios e carteiras. Mesmo com o vidro fechado, evite transitar com joias ou acessórios que chamem atenção.

Mulheres devem evitar deixar a bolsa sobre o banco do passageiro ou o banco de trás, pois são muitas as ocorrências em que o vidro é quebrado para que a bolsa seja furtada antes que a vítima possa tomar qualquer atitude preventiva. O mesmo é válido para quem costuma parar o carro na rua. Por mais que o veículo não contenha nenhum objeto de valor, sacolas e bolsas são muito visadas para roubo. Evite maiores incômodos colocando todos os itens no porta-malas, deixando o interior livre.

Ao dirigir à noite ou em ruas pouco movimentadas, não pare o carro para ajudar motoqueiros ou outros motoristas que pareçam estar com problemas no veículo – golpes como esse são bastante comuns. Em vez de parar, ligue para o responsável pelo trânsito na área e informe sobre a dificuldade.

Quem ainda não possui um sistema de segurança em sua residência precisa estar atento a algumas dicas para evitar que seja vítima de furtos e assaltos. A Metropolitana mostra como se prevenir.

    • Quando abrir ou fechar a porta do seu apartamento ou o portão de sua casa, certifique-se de que não há alguém suspeito nas proximidades.
    • A mesma dica vale para a hora de retirar o lixo e levá-lo para fora de casa.
    • Quando for atender estranhos, nunca abra o portão, mantenha a conversa com o visitante do outro lado.
    • Quando planejar uma viagem, evite comentar com pessoas estranhas por perto. Não deixe de pedir a um vizinho de confiança que visite a sua casa com frequência e recolha a correspondência. Desligue as campainhas.
    • Evite deixar joias ou altas quantias de dinheiro guardadas em casa.
    • Não entregue as suas chaves a ninguém, exceto se for um parente ou vizinho de confiança.
    • Na hora de trancar a casa, não deixe o cadeado do lado de fora ou o ladrão saberá que não há ninguém.

Para uma segurança mais completa e confiável, conheça os planos da Aguia Power.

Para quem possui muitas joias ou costuma guardar moedas estrangeiras em casa, ter um cofre geralmente é visto como uma medida de segurança a mais. Contudo, será mesmo que uma caixa de aço com código é a melhor forma de proteger seus bens durante assaltos e invasões?

Os cofres se apresentam em vários tamanhos, podendo ser pequenas caixas para colocar no armário até grandes espaços como os de bancos. O princípio de todos é semelhante: guardar objetos de valor em um ambiente praticamente inviolável que só pode ser aberto mediante senha.

Com as ferramentas certas e tempo, a caixa de aço pode nem ser tão inviolável quanto se imagina. Entretanto, o grande problema está no próprio mecanismo de fechadura. A maioria dos modelos de cofre, principalmente os mais antigos, utiliza o modelo de botão de girar, em que é preciso acertar as voltas para abrir a caixa. Em uma situação de estresse, como em um assalto, errar a combinação pode ser o motivo de uma tragédia se o criminoso estiver armado.

Em situações como essa, manter objetos de valor em caixas discretas sem senha pode ser uma estratégia mais segura que ter um cofre. Afinal, mesmo que só existam documentos dentro do cofre, é bastante possível que o assaltante pense que lá estão armazenados dinheiro e joias, o que acaba trazendo ainda mais risco para a casa e a família.

No mundo há cerca de 20 milhões de seguranças privados na ativa, resultando no dobro do número de policiais. A afirmação é r

esultado da pesquisa do Instituto de Estudos Internacionais e de Desenvolvimento e a informação foi divulgada no Relatório de Armas Leves 2011. O setor de segurança privada continua sendo uma das indústrias mais promissoras do

mundo, apesar da crise econômica.

De acordo com o diretor da pesquisa, Robert Muggah, a principal causa é a externalização, por parte dos governos, de funções relacionadas à segurança. O diretor também afirma que os funcionários dessas empresas têm menos armas de fogo do que os oficiais. Os dados surgiram porque a pesquisa, realizada em 70 países, destacou que a segurança privada possui cerca de 4 milhões de armas de fogo e a segurança pública cerca de 26 milhões.

Muggah ainda explica que não há dúvidas de que está acontecendo uma “privatização generalizada da segurança”. Os relatórios de pesquisa resultaram em uma distinção confusa entre ambas as forças de segurança devido à maneira abusiva como a força foi usada no passado. O comércio ilegal de armas leves e pessoais gera anualmente US$ 7,1 bilhões e, segundo Emile LeBrun, coordenador do relatório, as guerras e o terrorismo contribuíram com a lista de países envolvidos nesse comércio.

A rua é pública. Ou pelo menos deveria ser. Dos que aceitam centavos aos que chegam a cobrar mais de 100 reais em eventos específicos, os guardadores de carro estão por todas as partes. Mas a verdade é que a maioria deles não cuida de nada, apenas extorque indiretamente os motoristas.

Nas proximidades de faculdades, estádios de futebol, teatros e locais com grande aglomeração de lojas, as ruas parecem até loteadas. É praticamente impossível parar o carro na rua sem se deparar com um guardador “oferecendo” seus serviços. E, o pior, muitos cobrando adiantado e quantias absurdas para não fazer nada. Literalmente, pois pagamos pelo que ele não vai fazer: riscar ou danificar de qualquer maneira o veículo. A ameaça em nenhum momento é verbalizada, mas está lá.

Mas o que pouca gente sabe é que para exercer a função de guardador de carros é preciso ter registro no Ministério do Trabalho. Sem ele, fica caracterizada a infração ao artigo 47 da Lei das Contravenções Penais (exercer profissão ou atividade econômica ou anunciar que a exerce, sem preencher as condições a que por lei está subordinado o seu exercício). E é óbvio que os guardadores que agem de má fé não têm tal registro.

Então, se você se sentir lesado de alguma maneira por um desses falsos profissionais, não fique calado, ajudando o problema a crescer. Denuncie.

A maioria dos crimes de invasão domiciliar acontece mediante oportunidade. Uma janela aberta ou um amplo jardim que possa servir como esconderijo são fatores que tornam a residência uma ótima escolha para o criminoso. Mas o que torna uma casa menos convidativa para um assaltante?

Diferentemente do que mu

itos pensam, os assaltos a residências costumam acontecer no período diurno, quando os moradores estão no trabalho ou na escola e a casa está vazia. Em plena luz do dia, criminosos não se arriscam a demorar mais de 60 segundos para entrar na casa. Sendo assim, eles buscam oportunidades que facilitem a entrada e, principalmente, a fuga.

Para evitar que a sua residência seja escolhida por assaltantes, mantenha sempre as janelas e portas trancadas quando não estiver em casa e confira as trancas antes de sair. Além disso, caso tenha um jardim ou quintal, corte árvores e arbustos que estejam crescendo próximo a portas ou janelas – esse pode ser um excelente esconderijo para os criminosos.

Para arrombar portas de madeira os bandidos geralmente recorrem ao famoso chute no meio da porta, na tentativa de estourar a fechadura. Portanto, é recomendado instalar uma fechadura tetra na parte debaixo da porta, para tentar evitar a abertura. Além disso, escadas e outros objetos que possam ser usados para acessar o segundo andar ou o telhado devem ficar guardados.

Empresas como a Metronic podem ainda fornecer sistemas inteligentes de segurança, de forma a tornar uma residência blindada à ação de assaltantes.

Daqui a alguns meses, acontecerá a Copa do Mundo e o Brasil será palco de um grande evento, e é claro que durante esse momento o Governo Brasileiro deseja que tudo saia de acordo com o planejado. A segurança é um dos itens mais discutidos nos últimos meses pelo Governo, afinal, ninguém deseja passar por situações constrangedoras.

No quesito segurança, algumas medidas foram tomadas, como, por exemplo, o reforço da união das seguranças privada e pública. De acordo com o regime da Federação Internacional de Futebol (FIFA), é de extrema importância que essas duas forças estejam interligadas para o reforço da segurança do evento.

 

O esquema de segurança será reforçado e seguirá alguns parâmetros. Confira a seguir:

Os vigilantes, que são chamados pela FIFA de “assistentes de segurança”, cuidarão da segurança interna, ficarão responsáveis pelo estacionamento dos estádios, bilheteria, catracas, torcidas e isolamento do campo de futebol, e a Polícia Militar, por sua vez, será responsável pela segurança externa.

Conforme o Estatuto da FIFA, os “assistentes” de ordem, no caso os vigilantes contratados, têm, entre outras, as seguintes atribuições:

  • Realizar controles de segurança nas vias de acesso aos perímetros exterior e interior do estádio, assim como nos setores não autorizados para o público em geral;
  • Proteger as catracas, lugares e janelas de entrada, vestiários das equipes, dos árbitros, salas VIP´s, veículos, autoridades de instituições;
  • Garantir a separação entre torcidas de acordo com suas entradas;
  • Proteger jogadores e oficiais da partida;
  • Manter constante contato com a Polícia Militar para informar situações de possíveis caos.

Além dessas atitudes, outras formas para reforçar a segurança durante o evento serão utilizadas no período da Copa do Mundo.

seguranca-na-copa-do-mundo

  • Haverá o apoio do espaço aéreo brasileiro, que contará com pelo menos seis veículos aéreos não tripulados – os chamados drones – da própria Polícia Federal e da Aeronáutica;
  • A Força Nacional de Segurança estará à disposição das 12 cidades-sede do evento com 10 mil profissionais, entre os dias 12 de junho e 13 de julho. O grupo, criado em 2004, é formado por policiais militares, civis e bombeiros, que já atuaram nos grandes eventos que o Brasil sediou recentemente, como o sorteio final da Copa, a Jornada Mundial da Juventude, a Copa das Confederações, além dos Jogos Pan-Americanos de 2007.
  • O Centro de Cooperação Policial Internacional (CCPI), composto por representantes de forças de segurança pública de todos os países envolvidos na Copa, cujo intuito é concentrar todas as informações estratégicas relacionadas ao impacto da segurança nos jogos, vai, também, auxiliar a manter a ordem e a segurança do evento.

Com todas essas medidas, a Copa do Mundo de 2014 no Brasil tem grande chance de ficar dentro dos padrões de segurança esperado por todos.

A Fifa declarou que unirá a segurança pública à privada para aumentar a segurança nos próximos grandes eventos que acontecerão no Brasil, como a Copa das Confederações, o Mundial e as Olimpíadas. Os vigilantes profissionais realizarão cursos para trabalhar em conjunto com a Polícia Federal.

O padrão a ser seguido será o mesmo que o adotado em campeonatos e grandes eventos europeus, ensinado por escolas especializadas. Em 200 horas de aula, que vão até o começo do segundo semestre de 2013, os seguranças aprenderão noções de direitos humanos, abordagem correta do público, como resolver pequenos conflitos nos estádios e situações de emergência, controlar o acesso aos estádios, entre outros.

Estima-se que o número de profissionais da segurança privada esteja em torno de 700 mil, mais que a quantidade de policiais federais em todo o País, segundo dados da própria Polícia Federal.

O reforço na qualificação profissional será importante não só para os eventos citados, mas também para a construção de maior confiança da população para participar de tais celebrações. O treinamento perdurará mesmo depois que as atrações acabarem, aumentando a competência de milhares de trabalhadores no País.

O vigia de rua é um profissional bastante conhecido no País. Porém, embora o Código Brasileiro de Ocupações defina o termo vigia como o responsável pela guarda do patrimônio e por exercer a vigilância, o vigia de rua não pode ser confundido com o vigilante.

O alerta vem do Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado de São Paulo (Sesvesp), que manifestou desacordo com o cadastro (feito pela Polícia Civil) dos vigias de rua na capital paulista.

 

“Nós, do Sesvesp, não concordamos com a posição da Polícia Civil em cadastrar vigias de rua. A atividade de segurança privada no País é regulamentada por uma lei e o sindicato entende que, embora esses vigias precisem ter ocupação e renda, o serviço prestado por eles contraria toda a normativa da legislação em vigor. Não tendo um empregador ou uma empresa que os abrigue, esses vigias não têm treinamento adequado, seguridade social, fundo de garantia, salário definido ou responsabilidade civil para exercer essa atividade. Portanto, nós entendemos que, ainda que venha a ser amparada pela Polícia Civil, ou por outros organismos de polícia, vigia prestando serviço de segurança privada é uma atividade, além de ilegal, incompetente”, esclareceu o vice-presidente do Sesvesp, João Palhuca.

 

Conheça os serviços que a Aguia Power oferece:

  • Chegue Tranquilo

    Chegue Tranquilo Um modo seguro prevenir-se contra sequestros, coações e abordagens ao chegar em casa.

  • Sistema GPRS

    Sistema GPRS Sistema de backup de monitoramento. Permite que o sistema continue sendo monitorado.

  • Teste 24 horas

    Teste 24 horas Maior proteção ao cliente através da garantia da comunicação entre a Aguia Power e o painel de alarmes.

  • Aguia Power Control

    Aguia Power ControlControla os horários de abertura e fechamento do Sistema.

  • Aguia Power Mail

    Aguia Power Mail Emite um relatório, via e-mail, assim que o sistema for armado ou desarmado.

  • Sempre Alerta

    Sempre Alerta Monitora portarias e recepções. Permite o controle de horário e garante a presença física do funcionário.

  • Monitoramento Fumaça

    Monitoramento de Fumaça Previna incêndios ao monitorar sensores especiais de fumaça.

Por que contratar a AGUIA POWER?

-É a especialista em monitoramento eletrônico de alarmes
-Central de monitoramento própria com equipes intensamente treinadas
-Monitoramento de alarmes contínuo (24 horas, 7 dias por semana e 365 dias no ano)
-Comunicação integralmente monitorada com sistema de gravação
-Única empresa com padrão mundial de instalação: 1 sensor por ambiente
-Sistema de segurança presente em toda a Baixada Paulista.

Cadastre seu e-mail

Fale Conosco!

13 3591-1314
ID: 120*1025

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Av. Brasil, 133 - Sl25
Cep:11701-090
Praia Grande
São Paulo